O Ubuntu 10.04 é 10!

Aproveitando os últimos momentos de férias (das aulas), tomei coragem e instalei a última versão do Ubuntu Linux no meu laptop. Digo que tomei coragem porque eu costumo seguir aquela máxima de que “em time que está ganhando não se mexe”. E, de fato, eu andava satisfeito com o Ubuntu 7.10, já que não utilizo o notebook para tarefas muito pesadas, mais para escrever e acessar a internet. Por outro lado, tive algumas experiências traumáticas com atualizações, como quando fui fazer um upgrade do Ubuntu 8 para o 9 no meu desktop e o sistema novo não reconhecia uma tablet nem a pau — tive de voltar atrás naquela ocasião.

Contudo, como a versão 7.10 já está obsoleta, começou a ficar difícil achar pacotes para atualizar o sistema ou mesmo instalar um software que eu estivesse precisando. Além disso, ainda que eu estivesse satisfeito com o sistema, alguns itens do hardware não funcionavam 100% bem, como os alto-falantes, que continuavam a emitir som mesmo com o fone de ouvido plugado.

Diante desses probleminhas e tendo em conta a situação propícia para experiências com atualizações — já que não tenho nenhum trabalho para entregar na segunda — , resolvi tentar a instalação do Ubuntu 10.04. A instalação foi extremamente tranquila, é só colocar o CD na bandeja, resetar o computador e seguir as instruções. O Ubuntu está a cada versão se tornando mais amigável, que é de fato a proposta desta distribuição Linux. Pra quem já instalou e usou o Debian ou o Slackware, o Ubuntu nem parece Linux…

E, se a primeira impressão é a que fica, só tenho a dizer que o Ubuntu 10.04 é 10! Os meus problemas de hardware, pelo menos aparentemente, foram solucionados — o problema do alto-falante foi resolvido. Além disso, o sistema conserva as ferramentas que facilitam sua atualização, baseadas no mecanismo apt-get das distribuições derivadas do Debian. O que mais me chama a atenção nesse particular é que essa distro — não apenas nesta versão — fornece tanto ferramentas mais adaptadas ao usuário “leigo” ou mais acostumado com interfaces gráficas, quanto ferramentas para aqueles que preferem a linha de comando.

O conjunto de programas padrão é suficiente para o usuário comum. Alguns programas da minha particular preferência ficam de fora da instalação padrão, como o MPlayer (player de vídeo), GVim (editor de texto) e o XMMS (player de música). Quanto aos dois primeiros, é fácil resolver o problema mediante a instalação via apt-get; em relação ao último, a situação já é mais difícil uma vez que seu desenvolvimento foi “abandonado” e ele foi excluído do conjunto de pacotes — neste caso, o jeito é tentar se adequar ao RhythmBox, que não é de todo mal, mas eu preferia a interface mais simples do XMMS. Os codecs de áudio e vídeo comerciais ficam fora de distribuição oficial, mas é possível obtê-los nos repositórios do Medibuntu.

Na interface padrão do Ubuntu 10.04 predominam tons de preto e lilás

A interface padrão apresenta um tema mais sóbrio do que as versões anteriores, baseadas no laranja e em cores quentes. Na versão atual, predominam os tons de preto e lilás. Particularmente gostei da mudança no visual. Destaque para o terminal, que agora por padrão é translúcido e permite ver uma sombra da janela que fica por trás dele. Claro que ninguém está falando de um Mac OS X, mas para um sistema rodando num modesto Celeron M com 512 MB de RAM, a interface gráfica combina beleza com um bom desempenho.

Detalhe do fundo translúcido do terminal

Como disse anteriormente, minha impressão do Ubuntu 10.04 foi a melhor possível. A Microsoft que continue dando mancadas como foi o Windows Vista, para perder terreno para o pinguim. Tá certo que eles colocaram no mercado o Windows 7 numa tentativa de resposta a essa falha. Mas o fato a ser ressaltado é que um sistema operacional desenvolvido principalmente por meio dos esforços da comunidade do software livre mostra uma incrível capacidade de evoluir rapidamente, sem necessariamente exigir uma evolução correspondente em termos de hardware. Se você ainda torce o nariz para o Linux, vale a pena ao menos testar o Ubuntu 10.04 — lembrando que é possível rodá-lo a partir do CD sem ter que instalar no seu micro. Para baixar a imagem e queimar o CD, visite: http://www.ubuntu.com/desktop/get-ubuntu/download

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s