Todo tipo de explicação

A tragédia causada pelos terremotos no Haiti tem causado comoção por todo o mundo, como não poderia ser diferente. Além disso, tem mobilizado as mais diversas tentativas de explicação para o acontecimento.

As explicações transcendentais, baseadas numa “vontade divina”, se dividem em duas vertentes. Uma delas trata a tragédia como um acontecimento pré-destinado, inescapável, determinado anteriormente por uma força superior; acontecimento cuja justiça não cabe a nós, em nossa condição humana, questionar uma vez que nossa razão jamais será capaz de interpretar os desígnios divinos — explicação por excelência das igrejas em geral. A outra vertente, no entanto, ainda que trate os acontecimentos como “vontade divina”, procura uma explicação “inteligível” para a tragédia. A mais bizarra representante desta última vertente é a explicação do direitista e tele-evangelista norte-americano Pat Robertson, segundo a qual os haitianos teriam feito um pacto com o diabo para proclamar sua independência do domínio francês, e aí estaria a origem de toda a maldição sobre aquele país, que culminou nos trágicos terremotos — como ele ficou sabendo disso é que ninguém sabe, talvez o próprio diabo tenha lhe sussurado essa bobagem toda.

Deixando de lado essas explicações transcendentais, as explicações de cunho científico e empírico buscam seus fundamentos no movimento das placas tectônicas, cujo movimento, lamentavelmente, veio a ocasionar a tragédia, em razão da falha tectônica na qual se localiza a cidade de Porto Príncipe. Ou seja, tudo uma infeliz coincidência. Contudo, essa é uma explicação meramente superficial. Se tomarmos todo o processo histórico desde a independência do Haiti, os embargos sofridos por aquele país, as intervenções imperialistas, etc., podemos enriquecer essa explicação com elementos históricos que nos ajudarão a compreender porquê, a despeito do desastre natural, aquele país se achava num estado tão vulnerável, o qual certamente contribuiu para que a tragédia tivesse essas dimensões tão trágicas. Em suma, nessa perspectiva, a tragédia pode ser explicada como uma combinação de desastre natural com um processo histórico de marginalização de uma nação.

Agora, além dessas explicações, existem ainda outras, segundo as quais o terremoto teve causas humanas. Isso mesmo: foi provocado pelo homem. Em que pese o caráter de “teoria da conspiração”, há certa coerência nos argumentos que sustentam essa vertente. Nos últimos dias têm ocorrido vários terremotos a 10 km da superfície da Terra — como foi o caso do Haiti –, o que é um pouco demais para ser mera coincidência. Curiosamente ocorreram em locais não muito bem vistos pelo Tio Sam, como Venezuela e Irã. Esses seriam os indícios que sustentariam a hipótese de que a marinha americana estava testando uma arma de criar terremotos, baseada numa tecnologia de ressonância e pulsos eletromagnéticos, roubada de Nicola Tesla. Particularmente não quero crer de modo algum que isso seja verdade, pelo número de vidas que foram ceifadas por esse terremoto. Leia mais sobre essa hipótese no blog Ecocídio.

Explicações à parte, o que nos resta agora é estarmos atentos para os desdobramentos políticos dessa tragédia, os quais podem significar uma nova submissão do povo haitiano. Não podemos permitir que isso aconteça.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s